Benefícios e malefícios do peeling químico: Vale a pena fazer?

0
978

Um dos procedimentos estéticos mais populares quando o assunto é rejuvenescimento, clareamento e renovação da pele é o peeling químico.

Seja físico ou químico, o peeling pode ser feito com aparelhos para dermoabrasão ou substâncias químicas que causam descamação na pele e estimulam a criação de novas camadas, criando uma pele mais lisa, sem manchas e renovada.

Mesmo em meio a tantos benefícios que o peeling pode oferecer, existem também algumas desvantagens e riscos. E nos resta colocar na balança junto com um dermatologista para sabermos se é a melhor opção.

Confira a seguir alguns dos principais benefícios e malefícios do peeling!

peeling químico

Benefícios do peeling químico:

  1. Peelings amenizam marcas de expressão: Com o avanço da idade, é normal o surgimento de linhas, marcas e rugas de expressão devido às quedas na produção de elastina e colágeno, que são as proteínas que promovem a firmeza da pele. E a abrasão causada na pele pelo efeito do peeling estimula o aumento da produção dessas proteínas novamente, devolvendo maciez, brilho, viço e rejuvenescimento da aparência.

 

  1. Peelings preparam a pele para nutrientes: Uma boa combinação para cuidar da pele são os peelings e tratamentos tópicos com nutrientes e sais minerais. Isso porque o peeling abre bem os poros da pele, eliminando camadas mortas e bloqueadoras, portanto o uso de cremes e loções nutritivas depois do peeling é muito mais eficaz, com absorção dos nutrientes garantida.

 

  1. Peelings previnem o câncer de pele: Com a esfoliação promovida pelos ácidos ou aparelhos do peeling, a pele cria novas células, portanto renova a proteção existente da pele. E como se sabe, células de câncer surgem a partir de células com o DNA alterado, portanto ao renovar tais células, evita doenças desse tipo.

Malefícios e riscos do peeling químico:

  1. Peelings possuem muitas contraindicações: Os efeitos negativos de um peeling podem acontecer principalmente com as pessoas com características, doenças ou condições temporárias ou não que tornam os peelings contraindicados. São alguns deles: Dermatite atópica, psoríase, dermatite seborréica na face, pessoas com dificuldades de cicatrização, portadores de herpes, grávidas, dentre outros.

 

  1. Peelings podem causar lesões na pele: Peelings deixam a pele muito sensível para ela poder se renovar e criar novas camadas saudáveis, portanto quanto mais agressivo for o tipo de química ou quantidade utilizada, mais sensível a pele vai ficar e pode lesionar, desde novas manchas a queimaduras. Para indicar o ativo químico certo respeitando o tipo de pele da pessoa e evitar lesões, o dermatologista precisa saber sobre formas de cicatrização, pigmentação, despigmentação, nascimento de queloides, dentre outras características da pele de cada pessoa.

 

  1. Peelings podem causar reações alérgicas: Principalmente os peelings químicos, os quais contam com substâncias químicas e ácidas que penetram na pele e podem reagir caso a pessoa tenha alergias. Por isso é tão importante realizar determinado peeling apenas com a indicação de um dermatologista com base nas alergias e histórico médico do paciente.

 

Entendeu a importância de consultar um dermatologista antes de fazer qualquer peeling, né? Muitas clínicas estéticas lançam promoções de peelings e fazer qualquer um apenas pelo preço promocional pode prejudicar sua pele, lembre-se disso!

Dependendo do seu caso, soluções estéticas menos abrasivas podem ser o suficiente.

Avalie este post

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here