Espinha interna: O que fazer? Como cuidar? Aprenda aqui!

0
163

Pior que um pelo encravado, só uma espinha interna! Só quem já teve sabe do quão chatinha ela pode ser, tanto na parte dos sintomas quanto nos tratamentos. Mas hoje vamos facilitar sua vida dando dicas de cuidados para evitar espinhas internas e acabar com elas de uma vez. Segue na leitura!  

Espinha interna

O que são espinhas internas?

Diferentemente das espinhas comuns, as quais “estouram” para fora, na camada superficial da pele, as espinhas internas são inflamações que ficam sob a pele e inflamam muito mais do que as externas.

Elas têm mais profundidade de inflamação, o que faz com que tenha tratamento mais demorado e seja mais dolorosa. Costumam aparecer facilmente no rosto, ouvido, virilha e nas costas, mas podem surgir em qualquer parte do corpo.

Causas das espinhas internas

A espinha fica interna quando ocorre um tipo de entupimento no buraquinho de onde ela sairia, que pode ser um buraquinho de pelo ou poro de sebo no corpo. É como se fosse um tipo de cisto, fechando a saída com o acúmulo e/ou endurecimento de sebo na área.

Esse entupimento é que causa o inchaço, vermelhidão e dor na área e aos arredores. Tal condição se dá por vários motivos, como falta de higiene, estresse, genética, alterações hormonais, uso de produtos inadequados, presença de bactérias, entre outros.

Espinha interna causa

Há casos em que esse entupimento é tão endurecido que pode ser considerado uma fibrose e só pode ser removido com cirurgia.

Por que são mais difíceis de tratar?

As espinhas comuns são superficiais, portanto são mais fáceis de tratar com pomadas e outros remédios, afinal as substâncias ativas já entram em contato direto com as inflamações.

Já no caso das espinhas internas, além de elas serem mais doloridas, o que dificulta tratamento e acelera a inflamação, não ficam na camada superficial, demorando mais tempo pro remédio agir na pele. Mas calma, nada de apertar ou furar! Vamos aos tratamentos a seguir:

Tratamentos caseiros para tirar espinha interna

Tratamentos caseiros para tirar espinha interna

  1. Para desinflamar, sachê de chá preto:

  • Ferva 100 ml de água;
  • Coloque o sachê do chá preto na água fervida e deixe por 3 minutos;
  • Espere esfriar um pouco e pegue esse sachê ainda morno e coloque sobre a espinha interna;
  • Deixe agir por pelo menos 30 minutos.
  1. Para amenizar a dor, aplique gelo:

  • Pegue um cubo de gelo;
  • Coloque sobre a espinha interna com um pano para não causar tanto desconforto na pele;
  • De 10 em 10 minutos afaste o gelo da pele;
  • Repita o processo por mais ou menos 1 hora por dia.
  1. Para eclodir a espinha, aplique calor:

  • Opção para quem já tentou as técnicas anteriores e a espinha não melhora;
  • Ferva água;
  • Coloque um pano dentro dessa água;
  • Espere ele ficar morno e aplique sobre a espinha interna;
  • Ela vai amolecer e tende a eclodir em um ponto esbranquiçado, facilitando tratamento com produtos externos.
  1. Para acelerar a cura, chá de bardana;

  • Ferva 100 ml de água;
  • Coloque o sachê de chá de bardana ou folhas;
  • Coloque um pano dentro desse chá;
  • Espere ele ficar absorver bem o líquido e ficar morno, em seguida coloque na região da espinha interna;
  • Deixe agir por 20 minutos, fazendo 2x ao dia.

Alguns remédios para espinhas internas

  1. Aspirina

  • Certifique-se de não tem alergia aos componentes da aspirina, que é o ácido acetilsalicílico;
  • Esmague um comprimido com uma colher;
  • Misture com um pouquinho de água até criar uma pastinha;
  • Aplique com um cotonete na área da espinha interna.
  1. Roacutan (Isotretinoína)

  • Só pode ser prescrito por um médico; medicamento de tarja preta; venda proibida sem receita; contém variados efeitos colaterais;
  • Indicado para quando medicamentos como pomadas e outros orais não surtem efeito;
  • Tratamento feito com comprimidos, durante vários meses dependendo do grau das espinhas, não somente internas, e em paralelo com uso de outros produtos para lidar com os efeitos colaterais como secura na mucosa (sprays hidratantes), ardência nos olhos (colírio), etc.
  1. Corticoides

  • Também indicados pelos médicos de acordo com seu caso;
  • Pode ser em forma de pomada, via oral ou injeções diretas;
  • São medicamentos fortes que podem trazer várias consequências.
  1. Differin (Adapaleno)

  • Também indicado somente por médicos;
  • Indicado para espinhas em estágio avançado ou não;
  • Pode trazer vários efeitos colaterais como pele super sensível, secura, sensação de “quebrar” a pele, entre outros que merecem tratamento paralelo.

Cuidados durante o tratamento de espinha interna

Mesmo fazendo tratamentos caseiros ou médicos, alguns cuidados são necessários para evitar que essa espinha inflame cada vez mais e cause mais incômodos.

A primeira regra é não tentar espremer a espinha interna, pois é uma inflamação fechada que não tem como sair e só vai piorar suas dores.

Também mantenha o higiene em dia, lavando 2 a 3 vezes por dia sabonete antisséptico ou de tipo secativo de espinhas.

Finalize sempre com hidratante e protetor solar para proteger a pele e evitar que piore. E nesse meio tempo, evite usar maquiagem ou outros cosméticos que possam abafar a área, entupindo os poros e piorando os sintomas.

Outros tratamentos estéticos poderão ser indicados pelo seu dermatologista como peelings, ácidos, laser, entre outros.

Espinha interna: O que fazer? Como cuidar? Aprenda aqui!
Avalie este post

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here