Seborreia: Como tratar, sintomas, remédios e outras dúvidas.

0
851

As pessoas costumam ser cuidadosas com a pele, principalmente a do rosto, prezando por limpeza profunda e uso de produtos de hidratação. No entanto, muitas pessoas esquecem de uma outra parte da pele que, sem os cuidados necessários, pode adoecer com facilidade, que é o couro cabeludo.

Caso contrário, doenças como a seborreia podem vir à tona e incomodar bastante o bem-estar da pessoa. Se você acha que pode estar com seborreia, confira o texto de hoje antes de agendar a sua consulta com um dermatologista.

Seborreia

O que é seborreia?

seborreia é o nome popular designado para a dermatite seborréica, que é um tipo de inflamação crônica que dá abrange o couro cabeludo e outras partes do corpo que também possuem glândulas sebáceas.

É uma doença que pode se manifestar a qualquer momento, sem causas aparentes; ou também surgir pode conta de fatores estimulantes, endógenos ou externos; assim como pode sumir de repente ou com tratamentos de pele.

Ocorre porque as glândulas sebáceas desregulam sua produção natural de óleo, trazendo vermelhidão e muita coceira às áreas. Alguns médicos definem a seborreia como uma “caspa mais grave”.

Causas e fatores de risco da seborreia

Tornou-se uma mania popular achar que doenças como a seborreia são relativas à falta de higiene, por conta da aparência oleosa e descamada que proporciona nas áreas atingidas.

Mas saiba que as causas para seborreia são muito mais específicas e nem sempre são de controle da pessoa para evitá-las.

Fatores endógenos:

  • Alterações hormonais, que descontrolam a produção de sebo natural;
  • Estresse emocional;
  • Efeitos colaterais e reações de medicamentos.

Fatores externos:

  • Mudanças repentinas de temperatura e umidade do ar;
  • Clima seco ou frio demais;
  • Calor em excesso, pois é uma condição que aumenta o trabalho das glândulas sebáceas e também possibilita a proliferação de fungos na pele; o fungo mais comum que desencadeia a seborreia é o Pityrosporum;
  • Uso de produtos inadequados à sua pele ou tipo de cabelo;
  • Consumo excessivo de álcool também pode descontrolar produção de sebo.

Principais sintomas da seborreia

Conforme dito anteriormente, é uma condição que afeta não somente o couro cabeludo, como também outras partes da pele, que são sobrancelhas, área da barba, orelhas e até costas.

A seborreia se manifesta em forma de descamação que podem virar feridinhas, criar crostas e deixar a pele sensibilizada. Nas áreas que descamam, nota-se uma aparência meio rosada e avermelhada.

É comum muita coceira e até ardência, sendo praticamente irresistível coçar, no entanto é recomendado não coçar nem cutucar a área das feridas para não agravar a situação.

No couro cabeludo, atinge áreas separadamente, não o couro por completo. A área vai ficar mais oleosa, as feridas podem irritar muitas áreas e, consequentemente, os cabelos vão cair nessa região, pois o excesso de óleo e irritação das feridas colaboram para que os fios percam sua “cola” nos locais onde nasceram.

Não é algo contagioso, apenas o organismo manifesta por fatores de predisposição genética ou como reação a algo específico.

No primeiro sinal de alguns desses sintomas, principalmente começando com coceiras mínimas que se prolongam por dias, é muito importante consultar um dermatologista o quanto antes.

Diferença entre seborreia e caspa

As causas para estimular a aparição de ambas podem até serem semelhantes, como mudanças hormonais, emocionais ou ambientais. No entanto, as diferenças surgem quando comparamos os seus sintomas e seus avanços.

Na caspa, o que mais ocorre são as casquinhas brancas que se soltam do couro cabeludo, que nada mais são células mortas; para ela, as chances de cura e tratamento são bem maiores.

No entanto, quando a condição atinge couro cabeludo e outras partes do corpo onde têm glândulas sebáceas, deixa de ser uma condição exclusiva de excessos no couro cabeludo; neste caso, os sintomas envolvem inflamações sérias, coceiras e descamação do couro cabeludo, sendo bem mais grave, com possibilidades de avanços e um tratamento mais duradouro e complicado, dependendo do estágio.

Resumindo, a caspa é inofensiva e seca; a seborreia é úmida e inflamatória.

Seborreia em bebês

O processo de crescimento dos bebês inclui uma atividade alta das glândulas sebáceas, e isso pode causar alguns sintomas da seborreia, como peles com aspecto oleoso descamando do couro cabeludo do bebê.

Seborreia em bebês

Até o primeiro ano de vida, é considerado algo normal; apenas com o avanço da doença, de modo a incomodar o bebê, que torna-se um caso clínico que necessite de tratamento.

A melhor forma de controlar e evitar desconforto para o bebê é sempre secar a pele com cuidado após os banhos; evitar colocar muitas roupas no bebê, mesmo em dias muito frios; não vale também arrancar as pelinhas das feridas, deixe cair sozinhas; aplique óleos naturais nas feridas para acalmar e também ajudar as crostas a caírem sozinhas; e mantenha pele do bebê sempre hidratada, incluindo o couro cabeludo.

Remédios para seborreia

São alguns ativos dos medicamentos em forma de shampoos, cremes ou pomadas mais indicados pelos médicos, incluindo antifúngicos, loções calmantes e anti-inflamatórios:

  • Cetoconazol;
  • Clotrimazol;
  • Ciclopirox;
  • Ácido salicílico;
  • Sulfeto de selênio;
  • Alcatrão;
  • Piritionato de zinco.

Obs.: Em casos mais graves, de forte expansão da doença e coceira intensa, o médico pode indicar uso de corticoides em cremes ou via oral. Importante seguir as orientações do doutor.

Avalie este post

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here